Peque nos atos de redução no consumo, em casa, é crucial para que o abastecimento de água se mantenha regular A pandemia da Covid-19 - doença causada por um tipo de Coronavírus - impôs à sociedade mundial uma mudança brusca de comportamento. Além do isolamento social para conter a contaminação em massa da população e sobrecarga ao sistema de saúde, a higienização das mãos, superfícies e objetos, com água e sabão, precisou ser reforçada. Neste período, no entanto, o cuidado para não se infectar com o vírus, adotando as medidas de segurança das autoridades de saúde, deve vir acompanhado de um uso consciente da água, evitando excessos e desperdícios, orienta o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam). Nas duas primeiras semanas de quarentena, após o governo de Minas decretar o fechamento do comércio, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), responsável pelo abastecimento de água de mais da metade da população mineira, informou que “houve um pequeno aumento no consumo de água”, em Belo Horizonte e municípios da Região Metropolitana. A Copasa esclareceu, no entanto, que o consumo registrado está dentro da média para a região, de 15m³/s. O diretor de planejamento e regulação do Igam, Marcelo da Fonseca, alerta para a importância do uso consciente da água em um momento onde toda a população deve adotar a higienização contra a Covid-19. “Em situações extremas, de grande consumo, ou em regiões com baixa disponibilidade hídrica, o excesso de consumo pode levar à necessidade de racionamento, comprometendo as medidas de higiene recomendadas”, explica. Fonseca destacou, ainda, que o momento é de pôr em prática todas as dicas de redução de consumo indicadas ao longo dos anos. “Mais do que nunca há necessidade de colocar em prática as dicas para o uso consciente da água, em especial a não utilização de água potável para atividades como a recreativas como, por exemplo, banhos de mangueira ou banhos demorados. Além de evitar utilizar água potável para limpeza de pisos”, acrescenta. “O esforço coletivo que devemos realizar para superarmos juntos esta pandemia passa também pelo entendimento e ação por um uso racional da água, de modo que todos possam dela se utilizar , especialmente para a higienização das mãos, principal ação de proteção contra o Covid 19”, orienta Marília Melo , Diretora Geral do IGAM Segundo a Copasa, o trabalho tem sido contínuo para disponibilizar água tratada para todos os municípios em que a empresa opera. “A Companhia, no entanto, conta com a colaboração de todos para o uso consciente da água, principalmente neste momento de prevenção ao Covid 19”, diz. Dicas de redução de consumo de água: • Feche a torneira enquanto: escova os dentes, ensaboa vasilhas e lava as mãos; • Banhos curtos; • Feche o chuveiro sempre que possível; • Não utilize a mangueira para limpeza de calçadas, veículos ou regar as plantas; • Use a descarga com consciência e não deposite papel higiênico no vaso sanitário; Como e quando higienizar De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES/MG), que adotou as normas prescritas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a higienização das mãos deve ocorrer com frequência utilizando água e sabão, por cerca de 20 segundos, principalmente após contato com superfícies em espaços públicos. Seguindo a mesma diretriz, a Sociedade Brasileira de Infectologia também orienta a higienização da parte interna de veículos, superfícies e produtos comprados em supermercados, farmácias e afins. Caso não seja possível a assepsia com água e sabão, é indicado o uso de álcool em gel 70%. Simon Nascimento Ascom/Sisema

6 visualizações

Prorroga o prazo regular para a entrega do Relatório Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras e Utilizadoras de Recursos Ambientais - RAPP de 2020 (ano-base 2019).


O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS (IBAMA), no uso de suas atribuições que lhe confere o art. 23, incisos V e VIII, do Anexo I do Decreto nº 8.973, de 24 de janeiro de 2017 (Estrutura Regimental do Ibama), publicado no D.O.U. de 25 de janeiro de 2017; e o artigo 132, inciso VI, do Anexo I da Portaria Ibama nº 4.396, de 10 de dezembro de 2019, publicada no D.O.U. do dia subsequente;


Considerando a emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus (COVID-19); e Considerando o contido nos processos administrativos nº 02001.005174/2012-26 e nº 02001.007794/2020-18, resolve:


Art. 1º Prorrogar, até a data de 29 de junho de 2020, o prazo regular para a entrega do Relatório Anual de Atividades Potencialmente Poluidoras e Utilizadoras de Recursos Ambientais - RAPP, regulamentado pela Instrução Normativa do Ibama nº 6, de 24 de março de 2014.


Parágrafo único. A prorrogação de que trata o caput se refere exclusivamente ao RAPP do ano 2020 (ano-base 2019).


Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor em 1º de abril de 2020.


EDUARDO FORTUNATO BIM

4 visualizações

Empresas deverão atender a nova NORMATIVA que está surgindo - Emissão de Manifesto de Transporte de Resíduos - MTR.


Se sua empresa enquadra nesta questão, procure a Sanear Consultoria Ambiental.




22 visualizações

© 2018-19 por Sanear

  • Instagram - Black Circle
  • Black Facebook Icon
  • whatsapp-logo-4

Desenvolvimento:

Foxes Mídia